sexta-feira, 2 de julho de 2010

Double de mulheres e ditados.

Se eu não adorasse mulheres, as odiaria. Minto. Eu as odeio, mesmo não vivendo sem elas. Talvez exatamente porque não viva sem. Mas, definitivamente, não apenas por isso. Divago...

Estávamos eu e certo amigo numa baladinha (ela não é colega do blog AINDA, mas acho que um dia fará parte dessa porcaria). Eu estava de blazer. Blazer novo. E eu me achando foda.
Bem, a festa se deu na quarta-feira, noite sem sal e, por isso mesmo, um atrativo era necessário. Melhor dois: mulher free + double bohemia até as 00:00. Não sou fã de bohemia, mas sou de mulher, e o troço funcionou. Choveu mulé e uma delas me perguntou, com aquele velho, mas eficiente, jeito de cupido de 8ª série:
- Oi, tudo bem? Tem uma amiga minha querendo te conhecer.
Fomos apresentados. Era a mais gostosa da balada! Com um vestidinho cinza tão colado que me fazia pensar em como entrar nele (com ela e não eu sozinho no vestido, claro), porque uma vez dentro, com certeza eu não conseguiria sair. Dois minutos de conversa e descubro que a mocinha tinha 18 anos (é, mocinha mesmo...). Mais dois minutos, as amígdalas dela estavam se dando muito bem com minha língua.
Pouco depois, fui pegar cerveja e, novamente, me aparece a cupido de pré-escola:
- Oi, tudo bem? Tem uma amiga minha querendo ficar com você.
- Você tomou seu remedinho hoje, amor? Eu já estou ficando com sua amiga.
- Não, não. É outra amiga.
[O blazer estava fazendo sucesso, mesmo! Porque convenhamos, “eu normal” sou um fracasso. Corta pro meu pensamento, imaginando outra ninfetinha. Corta pra camiseta verde que eu sempre uso, na qual está escrito “Threesome”. Corta pro meu amigo chupando o dedo.]
- Ah, traz sua amiga aí, então! Vamos ver no que dá!
Nisso, a mocinha de cinza chega e eu digo:
- Ah, sua amiga disse que tem outra amiga sua a fim de ficar comigo.
[Corta pra cara irritada da menina. Eu, razoavelmente bêbado, tento consertar]
- Mas não liga, não. Vou continuar ficando com você, porque “mais vale um pássaro na mão que dois voando.”
Bom, a mocinha não gostou. Me xingou, falou que eu era eu grosso e, na verdade, tentava ficar com as duas. E estava mesmo! E se ela percebeu o que eu tentava fazer, quer dizer que fui sincero com ela! E eu fui sincero nas 2 vezes, pois é claro que eu ficaria com as duas! Mas também é óbvio que eu preferia continuar com ela que nada. E aí? Pedem sinceridade e quando a têm, nos jogam na cara nossos defeitos tão bem escondidos (mas que, ainda assim, elas conseguem desenterrar!).
Mais no final da noite, ela veio conversar comigo, mas daí eu já tava puto e respondi:
- Ah, quer saber? Agora, eu é que não quero mais. E quando um não quer, dois não ficam!

E fomos embora eu, meu blazer e meu amigo desconsolado, juntamente com meus ditados maravilhosos e minhas dúvidas sobre o sexo oposto.

9 comentários:

  1. Hahahahah
    tomou um - No, you can´t! - na cara

    ResponderExcluir
  2. prefiro pecar pelo excesso do que pela falta, caro colega... vai que um dia acontece, né? hehehe

    ResponderExcluir
  3. acontece, certas roupas eu nao uso mais. acredito muito que carregam algo chamado má sorte.fui o dever me chama

    ResponderExcluir
  4. gostaria de ressaltar .. que realmente... 1.vc foi grosso .. nao eh pq eh verdade que tem que ser dita.. filhote ..nao sei como vc nao aprendeu isso ainda ...
    2. pqp como as menininhas de hj estao tdo umas vagabundas ... (com pouquissimas excecoes) ...
    vai se fuder, viu?! me deixa revoltada!

    ResponderExcluir
  5. veja bem, se fosse qualquer outra pessoa eu poderia ficar levemente inconformada. porem eh o pedro miranda way of life, exterioriza toda e qualquer hipótese fantasiosa(ou surreal , pois no caso eh apenas um blazer, e não a cara do brad pitt) de uma maneira grosseira, a qual ele chama d sinceridade. adapte-se ao pedro miranda way of life, caso contrario, vc o xingará eternamente.

    ResponderExcluir
  6. Sintomático.

    O sintomático é observar que a Cláu, depois de todos esses anos, ainda não se conforma com minha atitudes (ainda que contadas com licença poética num blog). É uma moça correta.

    É também sintomático é observar que a Iza ficaria apenas "levemente" inconformada com a mesma atitude com qualquer outra pessoa. É uma moça sem parâmetros.

    bjus às duas

    ResponderExcluir
  7. Depois desse post penso...pq naum nasci lésbica??????? Aff... Pedro Cabeçudo Miranda

    ResponderExcluir
  8. Revoltante mesmo é saber que uma mulher é taxada por outra como vagabunda só pq ela quis ficar com um cara e disse isso a ele.

    Já adianto que é sintomático também, eu e minha birra com o machismo.

    ResponderExcluir