segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Dias da Semana


Assim como o Garfield sempre odiei segundas-feiras, não pelo dia de semana em si, mas sim pelo que elas representam. Segundas tem bagagem, elas não chegam sozinhas, vêm com a ressaca do fim de semana, a tristeza pelo fim da folga, o ódio pela rotina e a amargura de ter que trabalhar. Para piorar sempre acontece um problema “cabeludo” que só vai ser resolvido no meio da semana.

Já as terças amanhecem com a maioria dos problemas que as segundas trazem, exceto a ressaca. Porém são mais suportáveis, visto que as lembranças das festas começam a ficar distantes. E normalmente nas terças já existe algum vislumbre de solução para os problemas que a segunda trouxe.

Quartas-feiras são boas, os problemas das segundas são resolvidos, a próxima folga está próxima e tem futebol.

Ao contrário das quartas as quintas são péssimas (principalmente se seu time perdeu no dia anterior). Quintas-feiras são um buraco no espaço-tempo, se encontram em outra dimensão onde o dia dura 10 vezes mais.

Se você sobreviver às quintas é bem provável que encontre as sextas. Dias perfeitos, pequenos problemas (por maiores que eles sejam), muitos planos, bebidas após o trabalho e festas. Quase que sempre as sextas apagam a amargura da semana inteira.

Os sábados são maravilhosos e problemáticos, primeiramente porque são mais curtos que os outros dias. É quando você percebe que os planos meticulosamente criados nas sextas não cabem nos sábados, mas nada que quebre a magia destes dias.

No mínimo os domingos são estranhos, deveriam ser dias bons (já que estão classificados como fim de semana), mas a bagagem já mencionada das segundas é tão grande que consegue atrapalhar metade destes dias promissores. Isso sem contar a péssima grade de programação da TV.

Imagem do Cambalacho.com

Pensei em várias maneiras de acabar com as segundas e criar um mundo melhor, mas após muita analise achei melhor desistir porque não queria arruinar as terças.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

A Cura

Eu não sou religioso. Também não tenho crenças definidas, apesar de achar que sou agnóstico e às vezes ateu (até porque eu nunca lembro qual é a definição do quê).
Assim, odeio quando tentam me empurrar alguma religião goela abaixo. Não é que eu não respeite a crença alheia. Apenas não a quero pra mim. E não quero que ninguém tente me convencer do contrário.
Pior que isso só quando o Senhor (incluído aqui, Deus, Brahma, Buda e qualquer outra divindade religiosa) se manifesta através de filmes, livros e televisão, subliminarmente ou não.
Novelas (que por si só, já são uma porcaria) do tipo da Escrito nas Estrelas ou filmes como Nosso Lar exigem do espectador uma aceitação do espiritismo. A Paixão de Cristo, do cristianismo. E por aí vai.
Por este motivo, é com surpresa que qualifico o seriado global A Cura como um dos melhores nacionais que já acompanhei.
Em resumo, ele conta a história de um recém-formado médico (Selton Mello) que volta para sua cidade natal, Diamantina. Lá, ele descobre ter o dom da cura, entrando em transe toda vez que opera um paciente. E, até agora (episódio 5), estes pacientes sempre ficaram curados, em geral, de algum mal que a ciência clássica não havia conseguido combater.
Milagres, reencarnação, possessão do corpo e outros temas, em geral ligados ao espiritismo, são recorrentes, mas não exigem compreensão prévia ou mesmo aceitação do espectador, já que argumentos sólidos são utilizados pela própria série para combater tais acontecimentos.
Já vou dizendo que não é nem um Dexter ou Breaking Bad (que comecei a descobrir agora! Muito bom!), mas vale a pena. Abaixo, os links pra vocês baixarem os primeiros episódios (obs: não me responsabilizo pelo sexto episódio, porque ainda não vi).

http://www.megaupload.com/?d=H7AK72K8
http://www.megaupload.com/?d=2MRB5GRH
http://www.megaupload.com/?d=6B8SQNW7
http://www.megaupload.com/?d=EWNVK2DF
http://www.megaupload.com/?d=GYIBN59L
http://www.megaupload.com/?d=BWDOH12G

Regime

Prometi para algumas pessoas uma atualização, mas estou meio que sem inspiração esta semana, mesmo assim, resolvi fazer um esforço e escrever alguma bobagem para vocês lerem.

Estes dias atrás resolvi fazer um regime, por dois motivos: primeiro porque eu estou gordo, segundo porque minha gastrite ta apertando e achei melhor excluir algumas das coisas que me fazem mal (não pessoal, não parei de fumar).

Tenho que emagrecer antes que fique assim!

Decidi que minha única refeição do dia seria o almoço, que não beberia mais refrigerante nem cerveja durante dias de semana, e que quando a fome apertasse tomaria água e comeria bolacha água e sal.

No papel isso é uma idéia genial, porém existem sempre os percalços no meio do caminho. Para ajudar aqueles que um dia queiram também fazer um regime compilei cinco dicas/avisos:

1º Água não mata fome, não adianta beber 10 Litros por dia, a fome sempre vai estar lá, roncando.

2º A fome só não vai ser maior que a inveja você vai ter dos seus amigos saindo para tomar uma “cervejinha” nas quartas (segundas, terças e quintas também).

3º Não entre em um regime se a sua namorada não entrar também, pois ela vai comprar refrigerantes, lanches doces e tudo mais que você tentou excluir da sua vida.

4º Nunca, nunca conte pros seus amigos que você está em um regime porque ou eles vão te tirar de boiola ou tentar “corrigir” o seu regime.

5º Não se pese, pois se o fizer você vai perceber a gordura não vai embora fácilmente.

Para terminar, sem querer alterar a frase de Tim Maia, mas já alterando, em quinze dias de regime perdi minha vida social, os jogos do campeonato brasileiro, minha moral e 2 Kg. Mas sou brasileiro e não desisto nunca!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Remodelagem do Inferno

A religião cristã está meio que estagnada e o número de ateus cresce a cada dia, acho que isso acontece porque as pessoas não têm mais medo do inferno. Em um mundo onde existe fome, assassinos, políticos corruptos e desastres naturais, aquele mar de fogo não parece ser a pior das opções.

Proponho para a religião cristã uma repaginação do inferno. Para mim o inferno deveria ser feito de coisas cotidianas que te deixam louco enquanto o céu é uma Terra melhorada!

Assim seria o dia de semana do Inferno:

O inferno deveria começar com um dia frio e um despertador que sempre toca atrasado, seguido por um chuveiro que só liga no modo “verão”, um café da manhã de pão murcho com restinho de margarina (aquela que você caça com sua faca e economiza a cada pedaço de pão) junto com um cafezinho frio e muito doce.

No trabalho o chefe (diabo) está sempre com pressa e atrás de você reclamando, o computador desliga aleatoriamente e não salva automaticamente, cada trabalho urgente seria acompanhado de um cliente chato que empaca o serviço, o café é fervente sempre e com pouco pó. Cada minuto equivaleria a 15 minutos do dia normal (com exceção dos útimos 5 que seriam 30 minutos cada).

O happy hour seria sempre no mesmo bar, que tem uma banda desafinada tocando “as top 20 que você não gosta” enquanto um outro cliente bêbado tenta acompanhar as músicas sem saber as letras, a única bebida do bar é Kaiser quente e a porção é a famosa “cara e minúscula”. O jogo de futebol é Íbis Sport Clube contra seu time, seu time perde e você vai embora andando todos os 666 km até casa.

Em casa o elevador pifou e o apartamento é no 666º andar, a geladeira queimou e toda a comida estragou, a TV só passa reprises do domingo legal, a Internet está em reparos e só voltará a funcionar dia seguinte, por fim a cama está quebrada com um colchão furado e cheirando mofo.

E volta tudo de novo.


Estas não seriam as únicas mudanças. Eu garanto que com um inferno assim as religiões cristãs estariam crescendo a pleno vapor, caso o Sr. Deus queira me contatar para uma remodelagem do inferno estou a disposição.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

O Outro Lado das Eleições

Estes dias resolvi perder meu tempo assistindo à propaganda eleitoral gratuita dos presidenciáveis, isso mesmo caro leitor, prestei atenção em todas as bobagens faladas por estes candidatos que aí se encontram.

Sobre os quatro candidatos que normalmente aparecem não há muito o que falar. A Dilma e o Serra querem melhorar o Brasil em tudo, aperfeiçoando a educação, saúde, saneamento, segurança e transporte, só não explicam como e com que dinheiro eles vão conseguir isso. A Marina quer um governo das plantas para as plantas enquanto o Plínio só quer causar.

Mas o que mais me chamou a atenção foram as propostas dos candidatos “nanicos”. É possível encontrar de tudo um pouco, de idealismo exacerbado até idéias utópicas. Como eles tem tão pouco tempo na TV resolvi fazer campanha para eles (o Jingle de cada um é o link para os sites ou propagandas):

Zé Maria(PSTU): O caderno de propostas do partido se chama “Um Programa Socialista para o Brasil”. Tem como diretrizes a estatização do sistema bancário brasileiro e a idéia de dobrar o salário mínimo.
- “Contra burguês, vote 16”.

José Maria Eymael (PSDC): Promete a felicidade, sim caro leitor, FELICIDADE!
- “Ey Ey Eymael o democrata cristão”.

Levy Fidelix (PRTB): Propõe a criação do “Aerotrem” para acabar com o problema do transporte, a retirada dos impostos de todos os alimentos da cesta básica (?!?) e o aumento do bolsa família para R$ 535,00.
- "Vem vem Vem, Levy Fidelix é o homem do Aerotrem”.

Rui Costa Pimenta (PCO): Suas propostas incluem o salário mínimo de R$ 2.500,00, redução da jornada de trabalho para 35 horas (sem redução de salário, claro) e direito de defesa armada para o MST.
- “Vote e lute com o PCO”.

Ivan Martins Pinheiro (PCB): Ele quer um Estado Palestino livre, a independência dos territórios ocupados o retorno dos refugiados e a liberação de todos os presos políticos!?!?
- “Vote PCB, Vote 21”.

Pronto, fiz minha parte para termos uma eleição mais democrática e competitiva. Só acho que o Ivan Pinheiro esta fazendo política no país errado.


EDIT: Nesse post chegamos a 1000 visitas em 79 dias de contador! Parabéns e Obrigado!

sábado, 11 de setembro de 2010

A proximidade é sempre um perigo!

Aposto que, com este título, vocês pensaram que seria um "post" sobre relacionamentos com pessoas proximas... Mas não tem nada disso.

Alguém, ao menos uma vez, já sentiu aquela angústia de se aproximar do banheiro e sentir, cada vez mais, com a intensidade se multiplicando exponencialmente, uma vontade impar de fazer um xixizinho (urinar, dar uma mijadinha, tirar água do joelho e afins) e percebeu que a mesma só aumenta, e mais, de forma proporcional (quanto mais perto, maior a vontade)!!! Quanto mais proximo de seu objetivo (a privada, a comadre, ou seja lá onde você alivie seus suplicios) maior fica o seu desejo de fazê-lo!!!

Você chega no portão de sua casa (a vontade é razoavel, porém completamente controlavel) então, vc conversa com o porteiro, um cara sempre gente boa que manja de futebol (nesse momento, de razoável ela já passou a, no máximo, suportavel).
É nesse momento que entra em cena um vilão sádico e mal... O Elevador!!! Não sei se pela velocidade, pela mudança de pressão (como se eu morasse no 78° andar),ou por que caraleos ele mexe com sua bexiga (agora é a hora em que você cruza as pernas, da uns pulinhos, tenta pensar em outra coisa, tá começando a ficar feio).
Então começa o duelo ápice e suas três etapas:
-1°. Achar a chave - Sempre perdida nos recantos mais longinquos do seu bolso.

-2°. Coloca-la na fechadura - A danada teima em mudar constantemente de posição só para "tirar uma com a sua cara".

-3°. Girar a maçaneta - Nesse momento vc já esta de pernas cruzadas, segurando a chave nos dentes, e pressionando seu "fazedor de xixi" com uma mão, o que torna essa ação cotidiana um verdadeiro desafio.

Pronto você entrou em casa (quase chorando e com a certeza de que não vai dar tempo), faltam poucos passos até o banheiro, porem, para você sera uma longa caminhada, cheia de tropicos e encontrões.
Finalmente o banheiro, sem se perguntar ou prestar atenção em nada, você coloca "ele" pra fora e alivia uma das maiores angustias da sua vida!!!
Agora, aliviado, sereno, e feliz, você percebe um pequeno detalhe que lhe escapou, a tampa não estava levantada...

Para não ter este tipo de problema existem apenas três soluções conhecidas pela raça humana, usa uma sonda (urgh!!), não beber alcool (ah tá...) e ir ao banheiro no bar, a partir de hoje a ultima coisa que faço no bar não será mais pagar a conta!

FICADICA!

PS: Editado com sobriedade!

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Extra

Não gosto de postar mais de uma coisa por dia, mas eu simplesmente tenho que dividir isto com vocês, vai ser rápido, prometo.

Ontem voltei de Minas para Londrina e peguei um ônibus lotado que estava mais ou menos assim:


Isso acontece com todo mundo ou só comigo?

Profissões


Estes dias li um texto no blog da Ruthinha onde uma Manu melancólica e desiludida tentava procurar outras carreiras para seguir. Este post me ficou na cabeça e comecei a lembrar que quando era apenas um infante quis ser de tudo um pouco, até me assentar no direito. Aqui vão estas fases por ordem cronológica:

FASE INFANTIL

• Mafioso: Tinha vontade de trocar meu nome para Luigi e mudar-me para a Sicília para contrabandear bebidas.
- Não deu certo porque: minha mãe não me deixou trocar de nome.


• Pirata: Queria navegar os 7 mares, pilhar e atacar navios para levar ouro espanhol.
- Não deu certo porque: a Espanha não tem ouro desde o século XVII.

• Caçador de Fantasmas: Minha vontade era usar aquela armadilha e ter o Geléia como bicho de estimação.
- Não deu certo porque: Sou cético e não acreditaria nos clientes.


• Astronauta: Só pra poder andar na lua.
- Não deu certo porque: Meu pai me disse que só americanos pisavam na Lua.

• Espião: Sobre essa eu assumo que só me interessava pela licença para matar do 007.
- Não deu certo porque: falo demais para ser espião.

FASE JUVENIL

• Inventor: Tinha várias idéias para invenções tecnológicas incríveis.
- Não deu certo porque: A maioria das minhas idéias já tinham sido inventadas, só eu não sabia.

• Astrofísico: Sempre gostei de física, queria ser um Stephen Hawking sem a doença.
- Não deu certo porque: Não sei matemática.

• Escritor: Pensei em escrever um Best Seller e colher seus louros pro resto da vida.
- Não deu certo porque: Não consigo escrever mais que duas páginas.

Ao final da minha juventude todas as profissões que eu tinha sonhado tinham sido veementes refutadas e eu me encontrava em um “mato sem cachorro”, procurando minha futura profissão em um Guia do Estudante da Abril.

Após uma análise profunda decidi partir para o Direito, mas ainda tenho certeza de que me daria muito melhor como mafioso.

Ps.: Sim, filmes me influenciam também!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Seria útil se a realidade não fosse tão inútil.

Na época em que cidade com dezenas de milhares de habitantes era coisa rara, automóvel era artigo de luxo. 95,8% das pessoas que você conhecia e chegasse a conhecer na vida estavam a uma caminhada de distância, assim como o seu trabalho. Nada era longe demais para fazer do carro algo indispensável.
Hoje não. Sou dependente do meu carro (“carinhosamente” – entre aspas mesmo, porque é ironia e é uma inside joke – apelidado Aninha), que me faz gastar mais do que namorada (pelo menos, ele não reclama quando olho praquela BMW cheia de curvas). Mas o pior é que meu carro bebe mais que este trio de blogueiros em feriado prolongado!
Como tenho certeza que não é só a minha Aninha que poderia fazer parte do AA, presto aqui um serviço de utilidade pública, ao apresentar pra vocês o site http://www.meucombustivel.com.br/ . Funciona como o Google Maps, com uma diferença: depois de digitar o nome da cidade, ele lhe dará o preço de todos os postos da região!


Legal, não é? Na verdade... não. Adianta saber o preço de todos os postos da cidade, se a diferença entre o mais caro (R$2,59) e o mais barato (R$2,54) é tão irrisória que não vale o tempo e a grana de você se deslocar de um pra outro? Pense bem: se você abastecer 10 litros, a diferença entre as duas contas será de R$0,50! Se encher o tanque, será de R$2,00!
Mesmo para um Scrooge da vida, a resposta será: “Dane-se. Vou ao mais perto.” Já eu, vou no que me dá Km de vantagens... Cachê de merchan na minha conta amanhã! hehehe

Mas, enfim... Puta que o pariu! Até porque não tenho assunto algum pra escrever, tive que dividir minha frustração com vocês, de encontrar um site tão útil, mas ao, mesmo tempo, inútil, dada a real amplitude do cartel de combustível.


sexta-feira, 3 de setembro de 2010

A volta do que não foi...

É meus amigos, já faz um certo tempo que não falo com vocês.

Bom, estou aqui para me retratar, quiçá com um bom "Post" (há grande controvérsia sobre minha habilidade literária), mas vamos ao que interessa...
Pensei em fazer um comentário sobre wisky, sobre o centenário do meu amado Corinthians, mas falarei sobre algo mais cotidiano... As surpresas que a vida lhe prega, meu querido!
Você(?!) já se apercebeu de como as coisas, tidas como certas, mudam de forma ímpar e célere na nossa vida?! O.o
Do nada tudo que você tem certeza que é fato, de repente, não mais que de repente mudam vertiginosamente? Aconteceu comigo, na minha conta bancária (com mais freqüência que eu gostaria), com meu time (vai Curinthiá), e com tantas outras coisas do meu (nosso) dia a dia. O certo vira duvidoso e "vice versa"... O importante é não se abalar com o que poderia ser, mas sim com o que "de repente virou", seja uma pessoa maleável, que se adapta a vida, não se abata por perder o controle de algo que, na verdade você nunca controlou...
Afinal se essa vidinha, mais ou menos, que a gente leva é simplesmente maravilhosa (salvo se o Sr. for o novo ganhador da Mega-Sena), temos de aproveita-la ao máximo, extraindo tudo que ela pode nos dar... Então bebam, comam e se divirtam das melhores formas possíveis pois no final das contas você pode acabar olhando para traz e percebendo que "não fez", ou não teve, "coragem de fazer", o que era necessário para estar (não acredito em ser) feliz a maior parte do tempo.
Tendo tudo isto exposto, re-afirmo ao antigo ditado da mamãe "Quem não chora não mama", e outro dito sabiamente pelo Governator Arnold, "Sem dor não há vitória" (No Pain, No Gain).
Sei que este testículo parece de auto-ajuda, mas na verdade é a reafirmação necessária para que possamos continuar a fazer o minimo, que muitas vezes deixamos de lado em função de coisas menos importantes, como o medo e o ego (o Pedro que mora na sua barriga), que jamais deveriam derrubar nossos objetivos, sonhos e amores.

PS: Sentimentos foram feitos para serem sentidos, não contados ou descritos. Então se entregue a eles sem pensar no porque ou nas suas consequências....

Atenciosamente,
Nelson C. Luz Netto.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Seriados de TV.

Tem gente que lê o blog, mas não me conhece (simpatizo com a dor de vocês, pois também odiaria não me conhecer, afinal eu sou um cara tão legal). Para estes, explico rapidamente: sou viciado em filmes e seriados.
O post de hoje é mais contemplativo sobre este meu vício, especificamente, seriados. Eu até rascunhei um sobre filmes e seriados, mas ficou enorme. Outro dia, dedico um só a filmes (que, tenho certeza, todos esperarão ansiosos. Ãhãhn...).
Seriados são como os posts do Minero: curtos. Duram de 24 a 46 minutos. Além disso, se assemelham, novamente ao Minero, porém, à sua anatomia: são pequenos. Um arquivo rmvb (com qualidade e som bastante razoáveis) de um episódio com 24 minutos tem apenas 75 Mb!
Assim, atualmente, posso assistir séries completas sem sequer ter TV a cabo. E o melhor é que depois de Lost, a televisão ficou menos burra (pra ficar inteligente, só se todos os canais fossem HBO).
Nerd como sou, aí vai meu TOP 10 (poutz, eu adoro fazer listas. Não sei como a primeira deste blog demorou tanto pra sair) de séries de TV:
1. Lost (finalizada, com 6 temporadas)
2. Seinfeld (finalizada, com 9 temporadas)
3. Married with children (finalizada, com 11 temporadas)
4. Dexter (em andamento, na 5ª temporada)
5. The Sarah Silverman Show (?, com 3 temporadas)
6. Family Guy (em andamento, na 9ª temporada)
7. Mad Men (em andamento, na 4ª temporada)
8. The Sopranos (finalizada, com 6 temporadas)
9. Two and a half men (em andamento, na 8ª temporada)
10. Californication (em andamento, na 4ª temporadas)
- Menções honrosas: 1ª temporada de Heroes, Fringe, Supernatural, United States of Tara e Pinky e o Cérebro.
- Série com roteiro mais previsível, mas, tenho que dar o braço a torcer, com ótimo protagonista: House (essa crítica vale um post inteiro).
Março e Setembro são os meses de estréia das principais séries da TV americana. Quem quiser baixar, fica de olho nesta comunidade do orkut.
Abraços.